Prévia: Elysium

O filme só estreia em setembro (no dia 20, para ser mais exata). Mas ontem, no dia 08/04, o público brasileiro foi o primeiro no mundo a poder conferir uma prévia de oito minutos do filme Elysium, a mais nova obra do diretor sul-africano Neill Blomkamp (Distrito 9). No elenco, o premiado Matt Damon, a renomada Jodie Foster e dois brasileiros bem conhecidos do público: Alice Braga ("Eu sou a Lenda" e "Ensaio Sobre a Cegueira") e Wagner Moura ("Tropa de Elite").

Sim, Capitão Nascimento está no filme! Em Hollywood gente, olha só que phyneza!

O evento aconteceu no Shopping Santa Cruz, em São Paulo, e foi fechado para imprensa, blogs e convidados dos blogs. E como o Boreal adora se aventurar em coisas culturais (e confessamos, também fomos chamados), não perdemos a oportunidade e fomos lá conferir o filme. Manu e eu chegamos por volta das 20h (ela mais cedo que eu, assumo) para o evento que trouxe os dois atores brasileiros. Wagner Moura, munido de seu bom humor e simpatia característicos, e Alice Braga, sempre muito cordial com todos, contaram um pouco sobre a experiência de filmar uma produção hollywoddiana, as diferenças com a produção nacional, a longa relação de trabalho que possuem (Wagner e Alice se conheceram durante as filmagens de "Cidade Baixa", de 2005) e responderam a perguntas da imprensa e a duas do público.

(e uma dessas perguntas foi feita por euzinha ^^ Boreal Café representando o grande público!)

Agora, trazemos para vocês tudo que aconteceu ontem.

O evento

O andar superior do Santa Cruz foi decorado com cartazes e banners do filme, destacando sobretudo a participação de Wagner Moura e sua atuação junto a Matt Damon. Apesar do nome dos atores brasileiros não ser listado nos cartazes do filme, vimos desde já que o papel deles é extremamente importante para a história. Wagner é considerado o vilão da história, apesar que a impressão que dá é que seu personagem, o coiote Spider, está mais para revolucionário do que para vilão. Mas nada sabemos. Já Alice é Fray, a mocinha do filme e par romântico de Matt Damon.

Sortuda essa mulher -Q

Ao entrarmos, todos ganharam uma pulseira preta que nos dava acesso à sala de cinema. Para nossa surpresa, a pulseira tinha como fecho nada mais nada menos que um pendrive. Ou seja, ganhamos um pendrive bonitinho (e de 2 GB, porque já testei).



O evento tinha por objetivo mostrar alguns minutos do filme (uma espécie de longo trailer). Os brasileiros seriam os primeiros no mundo a verem essas imagens, afora o trailer oficial, então imaginem quão honrados estávamos nos sentindo. O chefe de cerimônias primeiro trouxe à sala do cinema os atores, que conversaram sobre como não só se sentiram honrados de trabalhar com Neill, mas também como estavam felizes de trabalhar um com o outro. Wagner, inclusive, destacou que foi ele a indicar Alice Braga para o papel, já que Neill queria uma latina.

Após um pequeno bate papo, iniciou-se a mostra do filme.

Elysium




Pudemos, então, conhecer a história de Elysium. Em um futuro um pouco distante, a Terra virou o planeta dos menos favorecidos. Todos os privilegiados do mundo se mudaram para uma colônia de luxo no espaço chamado Elysium, comandada pela secretária Rhodes. Quem não teve essa sorte, vive em uma Terra desolada, seca, suja, sem condições básicas de vida. Alguém aí está visualizando uma grande favela? Porque é isso que a Terra virou.

É então que Max da Costa (Matt Damon), ex-presidiário tentando reconstruir sua vida, sofre um pequeno "acidente". Ao ser deixado dentro de um compartimento com radiação, vê sua vida ser reduzida a meros cinco dias. Sua única esperança de viver é se for até Elysium, onde pode ser curado. É quando seu caminho cruza novamente com um velho amigo, Spider (Wagner Moura), coiote que tem alguns planos para o que resta de Max.

A história gira em torno do sequestro do milionário John Carlyle (William Fichtner), e das informações que esse milionário pode fornecer sobre Elysium. As consequências desse sequestro mudará a vida de Max da Costa, que terá de enfrentar as forças de Rhodes, além de colaborar com as ambições de Spider.

Do que pudemos ver do filme, esta é a história a ser contada. Claro que há algum tico tico no fubá com Fray (Alice Braga) que não fica claro a que ponto chega, mas sabemos que ela é o par romântico de Max porque... bem... a própria Alice Braga confirmou!

A conversa




Após vermos os trechos do filme (que eram inéditos também para Wagner e Alice - aliás, eles tinham visto o filme finalizado só naquele dia), os atores respondem a perguntas da imprensa (e mais duas feitas pelo público). Dentre todas as informações listadas, temos que


  • Wagner e Alice realmente gostam de trabalhar um com o outro. Não só Alice foi indicada por Wagner, mas eles também não cansaram de repetir o quanto um é grato ao outro pela oportunidade, e o quanto o outro é talentoso. Alice, aliás, chegou a mencionar que Wagner foi muito elogiado por sua entrega ao personagem e por sua "loucura" incessante ao atuar.
  • Ambos também elogiaram muito a direção de Neill. Mesmo sendo um diretor jovem, ele já é bastante renomado (Distrito 9 foi indicado ao Oscar), e também tem um trabalho interessante com seu elenco. Ao me deixarem fazer a pergunta, questionei Wagner se, como produtor e diretor de alguns filmes, ele não tinha vontade de improvisar ou mesmo fazer algumas alterações em roteiros, atuações, se não rolava alguma vontade de ele próprio participar da produção do filme de alguma forma. Tanto ele quanto Alice responderam que, nesse ponto, Neill era muito bom, porque ele deixava os atores livres para atuar, improvisar e discutir o direcionamento e a gravação das cenas, e eles puderam se aproveitar muito disso.
  • Há um mistério que envolve o personagem de Wagner Moura. Ao ser questionado sobre Spider, Wagner deixou bem claro que não poderia falar muito sobre isso. Alice também não pôde falar muito sobre Fray, mas ela ainda comentou que é uma personagem bondosa, caridosa, que representa as coisas boas da Terra. Que é uma mãe, e que seu personagem é intenso. Mas o de Wagner? Sabemos que se chama Spider, que é uma mistura de revolucionário, hacker e coiote. E só.
  • A comida do set de filmagens é boa XD E eles comem de três em três horas.
  • Há algumas diferenças sim entre filmar uma super produção hollywoodiana e uma brasileira. A começar pelo tempo de duração. Alice explicou que uma filmagem brasileira costuma durar 6 semanas. A hollywoodiana dura meses, já que é bem mais complexa. MAS, ao fim, ambos concordaram que a linguagem e as técnicas são as mesmas. O que muda mesmo é o investimento feito. Afinal, Hollywood é uma indústria.
  • Ambos elogiaram o trabalho de Matt Damon e Jodie Foster. Mas achei uma pena que Wagner, cujo personagem é o contraponto de Rhoster, não tenha contracenado com Jodie. E pelo que senti da resposta dele sobre isso, ele também sentiu (ele também confessou que só viu Jodie duas vezes).
  • Ambos tentaram fazer com que seus personagens fossem latinos. Wagner, inclusive, citou que, na cabeça dele, Spider é brasileiro, e foi assim que ele tentou atuar. Não ficou preocupado com sotaque nem com parecer um americano. E que Neill aprovou essa atitude, chegando a pedir que a personagem de Alice Braga falasse em espanhol para mostrar que era latina (não brasileira... latina!)
Quando a conversa terminou (e isso já era pra lá de dez e meia da noite), ambos ficaram alguns instantes para falar com os fãs. Alice tirou foto com alguns deles, e Wagner trocou algumas palavras com um grupo.

Balanço geral

O filme parece ser uma boa crítica social às desigualdades sociais, e assim como em Distrito 9, faz uma boa mistura entre crítica social e ficção científica. Os efeitos também estão bons, e a atuação do elenco me pareceu bastante elogiável.

Wagner Moura e Alice Braga são uns amores. Carismáticos, simpáticos e engraçados, ouviram a todos e responderam às perguntas com educação, mesmo as que não podiam responder. Wagner é uma pessoa à parte: incrível como ele sabe lidar com o público.

O evento foi super bem organizado. Mesmo que "aberto" ao público (bastava falar que você tinha sido convidado por algum blog), não houve confusões, todos puderam ficar sentados, e no final, mesmo com o tempo contado e os atores precisando ir, as pessoas puderam tentar falar com eles. E não houve confusão com isso, Wagner e Alice saíram numa boa, e todo o público pôde ir embora em paz.

E ainda ganhamos um saquinho de pipocas e um refrigerante. Bom, muito bom!

Que venha Elysium. Dia 20 de setembro, nos cinemas.

Postagens mais visitadas deste blog

Esmaltes: Especial Once Upon a Time

Biquini Anos 50

Batendo Perna: The Clock Rock Bar